Vegetarianismo
ADA (Academia Americana de Nutrição e Dietética) lançou no final de 2016 a atualização do seu documento, posicionando-se oficialmente sobre a alimentação 100% vegetariana.
“ Dietas vegetarianas apropriadamente planejadas, incluindo dietas veganas, são saudáveis, nutricionalmente adequadas e podem ser benéficas na prevenção e tratamento de certas doenças. As dietas vegetarianas e veganas são apropriadas para todas as fases da vida, incluindo a gravidez, lactação, infância, adolescência, idade adulta e velhice, e para atletas. As dietas predominantemente vegetais são mais sustentáveis do ponto de vista ambiental que dietas ricas em produtos de origem animal, porque usam menos recursos naturais e estão associadas com um menor impacto ambiental”.
O Vegetarianismo é o regime alimentar que exclui todos os tipos de carne, aves, peixes e seus derivados, podendo ou não utilizar laticínios ou ovos na alimentação.
Encontramos 4 grupos principais:
Ovolactovegetariano: São pessoas que não consomem nenhum tipo de carne, frango, peixe e frutos do mar, mas consomem os ovos, leite e laticínios. Esse é o tipo de vegetarianismo mais comum.
 
Ovovegetariano: Além de não consumir nenhum tipo de carne, não utiliza também o leite e os laticínios, mas consome ovos na alimentação. É o tipo de vegetarianismo menos comum.
 
Lactovegetariano: Não consomem nenhum tipo de carne e ovos, mas fazem uso de leite e laticínios na alimentação. É um dos tipos mais comuns de vegetarianismo.
 
Vegetarianismo estrito: Não consomem carne, frango, peixes - frutos do mar, ovos, leite e laticínios, mel e nenhum produto que tenha ingrediente de origem animal. Ex: gelatina, proteínas do leite, alguns corantes e espessantes.
 
Veganismo: Segundo a Vegan Society, o veganismo é um estilo de vida, que exclui, na medida do possível e praticável, qualquer forma de exploração contra os animais, englobando além da alimentação, vestuário e demais produtos de consumo (Ex: cosméticos, produtos de higiene, etc).
Motivos para aderir ao vegetarianismo:
  • Ética
  • Saúde
  • Meio Ambiente
  • Sociedade
  • Religião

Transição para o vegetarianismo

Ultimamente, principalmente por conta da pandemia do Coronavírus, muitas pessoas começaram a repensar seus hábitos alimentares e sua interação com o meio ambiente.
De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), 70% das enfermidades surgidas desde a 1940 são de origem animal, assim como o Coronavírus.
O crescimento da população e a expansão agrícola têm mudado de forma drástica como as doenças surgem, ultrapassam barreria e se espalham.
Além desses fatores, mudanças climáticas,como: alteração de temperatura, os desequilíbrios dos períodos de chuvas, assim como o das estações do ano, influenciam diretamente o comportamento animal e biológico, provocando então um impacto sobre os hospedeiros, vetores e patógenos.
Esse mesmo relatório da ONU citado anteriormente, também explica que não é possível tratar a saúde humana, animal e o meio ambiente de forma isolada.
Ou seja, evitar as causas das doenças e não simplesmente combater as enfermidades após o surgimento.
Para você fazer a transição para o vegetarianismo, tenho algumas dicas para você:
1) Comece aos poucos
  •  Para você que deseja se tornar vegetariano e consome ovos, leite e derivados, não se pressione porque ainda come esse alimentos.
  • O vegetarianismo engloba desde quem consome ovos,leite e derivados, até quem já não consome mais nada de origem animal.
  • Você é uma pessoa com história, hábitos alimentares, crenças, costumes, tudo isso influencia no processo.
  • Pense que se o seu maior desejo é se tornar vegetariano estrito (sem nada de origem animal na alimentação), você deve se respeitar.
  • Não é porque o seu colega/amigo/familiar conseguiu parar de comer tudo de um dia para o outro que com você será assim também.
  • Não se compare, se respeite.
  • Quer diminuir esse consumo?
  • No início, consuma de 1 a 2 x/dia esses alimentos que você está acostumado e depois intercale dia sim e dia não.
  
2) Conecte-se com pessoas do meio
  • Muitas vezes quem deseja se tornar vegetariano e está no processo se sente um pouco solitário, pois geralmente a família não é vegetariana.
  • Nas redes sociais, há vários perfis bacanas de pessoas que são vegetarianas, que compartilham receitas, com indicações de estabelecimentos (vulgo, comida,rs) que te influenciam positivamente à respeito do estilo alimentar.
  • É um modo de você vivenciar mais o vegetarianismo (e ver que não é um bicho de 7 cabeças!), experimentar comidas (principalmente as afetivas: lanches, sorvetes, doces e etc) e começar a se conectar com as pessoas e também saber um pouco mais do caminho que às levaram a esse estilo de alimentação, e muitas vezes de vida.
3) Cuidado com as falácias
  • Como em qualquer meio (seja de alimentação, religião, estilo de vida) há falácias, principalmente na internet (todo mundo fala e escreve o que quer).
  • Você pode se deparar com grupos de Facebook, WhatsApp e até perfis de Instagram que começam a apavorar sobre a temida B12 (vitamina importante para todos, sejam vegetarianos ou não).
  • Pessoas que se julgam profissionais da área (leia-se: acham que são nutricionistas!) e que querem que você suplemente B12 em tal quantidade, porque senão ficará doente e morrerá.
  • Não é assim, gente. A B12 é muito importante, mas nem só de B12 vive o homem (mulher), ok?
  • Há tantas variáveis, como: hemograma, ferritina, outras vitaminas e minerais, sintomas do paciente, intestino e etc.
  • Quem saberá disso é um profissional nutricionista, habilitado , que saiba interpretar exames laboratoriais e prescrever um plano alimentar planejado e adequado para suprir todas as suas necessidades individuais.
4) Coma comida
  • A base de uma alimentação vegetariana saudável, equilibrada e planejada para você é comer comida.
  • Arroz, feijão, verduras, legumes, frutas, oleaginosas, sementes.
  • Sempre escuto : mas o que vegetariano come? Oras.. a única coisa diferente é que não terá aquela carne, peixe ou frango no prato.
  • Arroz, feijão, salada, legumes a maioria come, certo?
  • E se você não gosta de arroz, feijão, tudo bem.
  • O plano alimentar pode ter outras opções igualmente satisfatórias em carboidratos, proteínas (que é o temor da família de quem vira vegetariano).
  • Proteína não falta, gente, te garanto isso.
  • Procure um nutricionista que trabalhe com vegetarianismo para te ajudar a elaborar um plano alimentar adequado, saudável, equilibrado e feito exclusivamente para você, individualizado.
  • Quando você é bem cuidado, esbanja saúde, acredite.